Uma parte de mim. ( Velha estante)

Uma parte de mim despedaçada
Uma parte que foi embora
Num canto guardado, envelhecido e só
De baixo do pó as vezes pode ser lembrado
Como boleros antigos
Recordado por velhos amigos
Na vitrola, na sala
Velha estante.

Uma parte de mim não tão brilhante
Uma parte que não voa mais
Se ela soubesse
Que isso seria o fim
Como dramas de amor que tornam-se realidade

Não consigo traduzir
O que eu não consigo dizer
Talvez então escrevesse
Ela ia entender
Que fazia parte
Descomplicada arte
Não consigo traduzir
Se deve existir
Talvez morra e desapareça
Ela vai entender
Com todas a partes
As metades iguais
Iguala a concessão
Amor oblíquo
Amor difícil
Traduzi-lo
Deixá-lo
Velha estante.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s