Mais um dia.

Mais um dia Saindo do trabalho Empate com o nó apertado Sentindo-se enforcado Wisky com gelo Pés doloridos O bar quase vazio Exceto os velhos solitários sem lar pra voltar. Eu sigo meu caminho Endereçado por prostitutas, Mendigos e fanáticos Eu fujo de todos Eu quero minha casa Mas está longe Longe, longe, longe …. […]

Leia mais Mais um dia.

Cotidiano

Estou meio confuso Ou será o fuso horário As caixas fora do armário Ainda não organizei A hora chegará De sol a trovoada A hora chegará Mova-se comigo O vento destrói As copas das árvores Estranhas pessoas correndo Procurando abrigo A vida cotidiana sufoca A singularidade das formas Maneiras de viver Maneiras de amar O […]

Leia mais Cotidiano

Mais um poema de amor e dor.

Mais um poema de amor e dor. Você não quiz Direto ao ponto Mas eu sabia Desse dia Meu jeito de ser Meu jeito de ver Mais velho Mas não indolente Na dor Se faz canções De amor Se cria ilusões Deixei esperar Poderia ter sido eu Mas a chuva do descaso Banhou-me com a […]

Leia mais Mais um poema de amor e dor.

Cão de Guerra.

Eu pensava assim Como você até um tempo atrás Revoltado e a língua afiada Derrubando tudo e à todos Me julga, chamando-me de cão de guerra Me culpa por não ter aceitado a tua mão Chuvarada que molha os tolos Chuvarada que molha os tolos Abrigo-me na marquise Você liga mas não o atendo Mensagens […]

Leia mais Cão de Guerra.

Aff…

Quem és tu Cabral? Tomou posse do que não era teu Quem és tu vigário? Tomou posse do que não era teu E assim por diante Dianteiro futuro De urubus que governam Árvores de papel Atolados no pinche Desbotado e sujo fica A tal metade que para, pra ver a pátria de chuteira Mas não […]

Leia mais Aff…

Desse jeito haverá um fim.

Houve um infortúnio O coração não o suporta A porta fechada Das probabilidades Ela esperou Até último segundo Seu mundo começou a desmoronar Seu castelo de areia A chuva ficou a encarregar Hey,você lá de cima De uma chance Pare esse chuva Hey, você lá de cima Desse jeito haverá o fim.

Leia mais Desse jeito haverá um fim.

O Fardo.

Não presto do resto do que me julgam  e os que eu julgo Mais fardo. Me cobro e pondo sobre os ombros Tudo aquilo que eu abomino Tudo aquilo que faz chorar Me cobro e pondo no ombros Tudo aquilo que envenena Tudo aquilo que… não respiro Fardo pesado. De leste ao oeste Cabelos longos […]

Leia mais O Fardo.