Dinossauro

Tão antigo Tão fundo Água saloba No poço do mundo Minha lembranças Meus desejos Estão lá Sentados no sofá Lutar ? Talvez seja A melhor coisa Que ela veja Dinossauro Extinta realidade Me abraço nas ondas Deixo a levar Pra longe de mim Pra longe daqueles Que nego o seus nomes E seus presentes Dinossauro […]

Leia mais Dinossauro

Depósito Orgânico

Aonde vai, Meus restos? Que estavam no cesto Detesto quando gritam Uns com outros Somos como vegetais Apodrecendo no interior da lixeira Esperando a faxineira Recolher, pondo fora Posso dizer Comparar você Não precisa ficar Nem pedir pra voltar Tua casca preta Apodrecendo Sem ser consumida Digna de uma vida Você pode ir Cair aonde […]

Leia mais Depósito Orgânico

Cães

YANES Yanes, em tardes tristes no píer Escreve e recita seus versos Para o vento levar… CÃES SARNENTOS Há desigualdade Sujeira de baixo do tapete Laranja é a cor do teu fim Assim termina o dia Cães sarnentos Correm pelas ruas Brotam pelos ralos como ratos Perseguem carros pelas vias e crianças no parque Cães […]

Leia mais Cães

Jardim Suspenso

Não quero estragar esse belo dia Não é do meu agrado, fazê-la sofrer Toda florescência romântica deve ser respeitada Mas a história trágica Que irá por vir Toda beleza pura E imprópria que Se esconde atrás do luar Gravamos na árvore imortal Nossos nomes Neste jardim suspenso Neste paraíso completo Não mereço tanto Por ser […]

Leia mais Jardim Suspenso

Surreal blues

AQUELE SONHO Em meu sonho você estava Nua em minha cama Corrrompendo todas as leis Meu corpo em chamas Mesmo que parece surreal Peço para que fique Meu mundo iria acabar Se fosse embora Mesmo dizendo que não haverá amanhã Mesmo repetindo clichês Palavras melosas e tolas Quero que fique Meu coração em retalhos Não […]

Leia mais Surreal blues

Falhas

Falhas existem Eu as tenho Da pior maneira Eu as encaro São, talvez não Poderia ser diferente? Às dez ligo a TV O gato brinca com o novelo Tivesse tê-lo Segurado em minhas mãos Ela liga Ele não atende Vacas magras pastam espinhos Doses caiem como chuva Em meu copo Ele a condena Sem ela […]

Leia mais Falhas

Belas Artes

Alegro-me, Em voltar aqui Depois de tantos Verões Vinho na taça Mesa pronta para o jantar Cheiro de passado Vamos conversar Através das Lembranças Vem a saudade Álbum velho de fotografias À tona vem o passado Alegro-me, por está de volta Nas paredes belas artes Sinfonia acolhedora Velha vitrola de meu avô Lembranças, Vem a […]

Leia mais Belas Artes

Noite pós noite

Ela apaga a luz do quarto Enquanto se despe na penumbra Escondendo toda imperfeição Toda beleza dilapidada Noite pós noite Noite pós noite O vermelho do corredor O perfume do pecado no ar A sua alma vai morrendo Nunca vendo um rosto que a ama Da janela ela vê A lua enterrando seus sonhos Noites […]

Leia mais Noite pós noite

Não posso dizer que foi…

Foi assim, um não, como tudo terminaO trem chegou no fim da linhaPrecisa repetir, ferir o que já está feridoSangrando até o fim Foi por minha culpa?As tardes não são mais as mesmasFlores murchas no vasoBolas de papel espelhadas no chão A casa vaziaTrazia um certo temorMinha mente o acompanhaNada o quê pensar E passando […]

Leia mais Não posso dizer que foi…

Para além dos mares de Netuno

Se teu olhar falasse Neste âmbito de tristeza Saberia o que estava sentindo Minha realeza Fugindo do sol que brilha Do cantar das gaivotas Da beleza das sereias Que hipnotiza marujos de primeira viagem Para além dos mares de Netuno Talvez tivesse ficado Não agido como um idiota Um pouco mais, ficado Ela se foi […]

Leia mais Para além dos mares de Netuno

Erro de Poseidon

Parece um erro, talvez fosse Rejeitado pelo seu criador Despejado nas extremas Profundezas do oceano. Relembra em cada ataque Sua raiva colossal Seus tentáculos o abraçam Levando-os ao fundo do oceano. Sem o título de mestre Não há compaixão De um rei Não há… Revogar, seu direito Arrancando corações De seus peitos Pobres mortais Erro […]

Leia mais Erro de Poseidon

Sailors and kraken

O salobo em meus lábios Não tarda a voltar A beira da loucura, além do que os sábios pensam Meus homens não ouço mais Suas cantigas e melancolias Fragatas devoradas pelo azul trevoso Mortos ou não Para o fundo irei… Se eu falhar… Meu algoz, minha voz que ainda ecoa Sobre a imensidão do oceano […]

Leia mais Sailors and kraken

Diz pra mim.

Diz pra mim Que não é verdade A atrocidade Que lá fora está Fácil é apagar O giz no quadro negro Abre a janela Deixa o ar entrar Faça melhor do que eu já fiz Faça melhor sem se exibir O mundo dá voltas Destino agridoce Letras sem inspirações Apenas estrofes tolas Já a perdi […]

Leia mais Diz pra mim.

Azul?

O ar seco predominante A poeira cobrindo os meus olhos O deserto é longo Sombrio até de dia Carcaça tomada por urubus No meio fio de uma estrada que parece não ter fim A serpente dá o seu bote No inovencivo coelho que sai de sua toca Tão distante Da estante de livros Tão distante […]

Leia mais Azul?

Tolos

O sol se põe à tua esquerdaE desaparece….Amarga, retirou -seSem adeus Cada um com seu orgulhoCoração cadeadoMente fechadaLágrima escondida Se foiFeito fumaçaA taça está cheiaBom vinho jogado fora Amarga, retirou -seSem adeusAos ateusMais uma vitória Ela não quis olharNem responderPreso no tempoNa sofrencia de arruinarGotas de mentirasNo clichê desandadoDa galhofa de nós doisÉramos jovens…E tolos.

Leia mais Tolos

Não voltará

Quem falou que as rosas não machucam Machucam sim, Como um amor mal resolvido Ela tem espinhos no seus galhos Não serve apenas para enfeitar A maré vêm subindo Devorando castelos de areia Deixado por crianças Num fim de tarde qualquer. Vêm subindo Devorando pegadas Rastros de um dia que se foi E você… também […]

Leia mais Não voltará

Escolhas

Péssima escolha Movimento precipitado A tua rainha está desprotegida Peões sacrificados à merce de tuas falhas A escuridão da noite tece a teia de suas ilusões colhidas O caminho vai extreitando E você perdendo-se A roleta gira O tambor está cheio Feliz não está Coração na mira Péssima escolha Em mudar de caminho Quando não […]

Leia mais Escolhas

O cantor

E as estrelas se opuseram, o expulsaram do céu O palco ficou vazio e a cortina vermelha abaixou O dia se foi sem tardar a noite apareceu As lágrimas secaram Não se ouviram risadas O cantor calou-se Desplugou-se da caixa O que irá fazer? Se você agora, desempregado Na rua faz muito frio Whisky esquenta […]

Leia mais O cantor

Brumas

Seja franca Destranca a porta Deixa alguém Alguém que seja legal Entrar e ficar Alguém que pode te amar Poderá abrir as janelas Deixar o sol entrar Sair o cheiro de mofo Vai fazer bem pra você Nova vida Nova perspectiva Seja franca Consigo mesma Algum dia, irá passar Que o mar há de levar […]

Leia mais Brumas

Ombro pra chorar

O dia começa  indiferente do que é normal O velho atravessa a rua Longe da estranheza Pessoas invisíveis trafegam de um lado para outro. Se falta um amigo Ombro pra chorar Aquele amor que não irá brotar No jardim, pessoas ainda fazem promessas a velhas fontes. Se as razões levam a fins destrutivos Muitos sem […]

Leia mais Ombro pra chorar

O muro

Quem você está enganando?Andar na contra mão de olhos vendadosVender falsificadosComprar as pessoas com mentiras Quem você pensa que é? O frio as tornam mais friasCom o chegar do invernoAquele terno azul, aliás o meu favoritoDito por mim foi destruídoNão serve maisOs dias passaram com o tempoVendo pela brecha você ainda está láNa memória da […]

Leia mais O muro

Desconhecer o desconhecido.

Já era tarde Passamos despercebidos Estranhos que não olhamos Passos rápidos Ultrapassar a roleta Embarcamos na barca Atravessamos o rio Todos os dias Todas as primaveras O sol apequenando-se O dia pondo seu fim Sua jornada Descansar em colchão macio Embarcamos mais uma vez Outros nem tanto Alguns perdem o horário Alguns deixam de existir […]

Leia mais Desconhecer o desconhecido.

Linhas

Minha barba cresceu Grisalha e velha A idade começa pesar Nas pernas de quem correu muito De quem corre de um lado para outro Atrás de seus sonhos No silêncio da floresta Eu me recluso Buscando talvez Alguma paz Dias revoltos Ira e fúria dominando homens Muitas sem palavras Sem culhões Minhas linhas, algumas tortas […]

Leia mais Linhas

Chá gelado no fim de tarde.

Passo por pontes Por pedregulhos Assim é o dia a dia Estradas sinuosas Amor vêm Também vai Com o vento As folhas secas Bye, Bye , Bye Não se entristece Ora vai voltar Aquele sol bem quente Chá gelado no fim de tarde…. Dedo sangrando Roseira de espinhos Criança chorando Arranhão do joelho Chuva no […]

Leia mais Chá gelado no fim de tarde.

Movediça

Casualmente Um entre sai daquela casa Será que ela o está traindo Noite pós noite Ele se esforça no trabalho A gravata o sufoca Até se afogar num copo d’água Rotinas são areias movediças Movediças….. Sonhando acordado O tempo escorregar Pelas mãos calejadas Pelas mentiras que falam A eternidade do caminho de casa A eternidade […]

Leia mais Movediça

Você está feliz?

Se isso está certo Ou perto de está Na beira do abismo Todos algum dia passará por aquele lugar Algum dia passará Você está feliz? Não é o que eu vejo Nem tudo são flores No Jardim do bem ou do mal Não morremos ou vivemos Do mesmo Você está feliz? Não é o que […]

Leia mais Você está feliz?

Natureza

A torneira aberta inundando o banheiro Restos de maquiagem escorrem pelo seu rosto; Seus lábios não provam mais o gosto um beijo Dia louco sem fim e a noite que arrasta de um lugar para outro. Ela não sabe o que aconteceu Se soubesse onde seria? Versos escritos no espelho Tantos porquês Dia louco sem […]

Leia mais Natureza

Ao redor

Ao redor pessoas andam de trás pra frente Sem vírgulas e pontos frases vêm surgindo Ao redor uma granada explode Ouço pessoas gritando e vêm surgindo o pavor A TV não mostra o que eu quero ver Será que um coração mecânico sente amor? Ao redor tudo muda e conspira Em colapsos as pessoas morrem […]

Leia mais Ao redor

Encarar o novo

Armas sobre a mesaChega de discussõesSaio pela porta dos fundosSó espero que você não seja um covarde Atirar pelas costas O tempo, uma sátira sobre ferrugemNa carruagem imagináriaCarrega velhas lembrançasDe passagem vivemos É hora de encarar o novo Novos aresSei que não és boboO ciclo das coisasMudanças Deixo molhar os pésCaminhando pela praiaÀs vezes enlatadoComo […]

Leia mais Encarar o novo

Stupid man

Pareço um idiota?Esperando de novoO novo recém chegarAquele olharNão respondidoQuero que o céu caia sobre mimPreencher com azul o que restou Pareço um idiota?Plantado aqui foraFeito uma árvoreEsperando vocêVier até mimExplicar De novoO novo por virPalavras de amorDe mim incompreendidoVendido à preço de bananaDesajeitado eu seiNão precisavaNão precisavaDe novo e o novo por vir???? Pareço […]

Leia mais Stupid man

Progressivo VI

Triste é Ver você Desse jeito Dói no peito Não desabrochar A flor que é Perfumar Dias de sol no campo Triste é Se existe Algo assim Como você Algo assim Dias no campo Além do horizonte Que o sol se ponhe.

Leia mais Progressivo VI

Mosaico

Eu procuro, porque eu preciso Praia vazia e o mar pra mim Parte 1 “Mosaico”. Pedaços pequenos Formam a figura que sou Tempos modernos Velhas histórias que são contadas Flores que ainda florescem Na costa da fonte Moedas já não caiem mais Pedidos não profetizados No fio da navalha Na beirada do parapeito Prestes a […]

Leia mais Mosaico

Noite eterna.

Publicado originalmente em O poeta que há em mim.:
Bem-vinda a noite eterna Cheia de mistérios Lua materna Filhos à vagar Como anjos caídos Buscando redenção Madrugada blues B B King à cantar na velha vitrola Não me amola Vizinho maluco Então vá embora. Bem-vinda a noite eterna Cheia de ódio Viciados em ópio Baudelaire…

Leia mais Noite eterna.

Deserto

Publicado originalmente em O poeta que há em mim.:
Era um deserto Era o preço Que deveria pagar Meu desespero Que estava certo Mas o acaso Brincou comigo Usando daquilo Que fazia me sorrir Meu amor,oh me deixou Era um deserto A noite vinha Cobria me com seu lençol de estrelas A imensidão acalmava Afastando-me…

Leia mais Deserto

Mais do mesmo.

As mágoas, ainda frescas Na pintura exposta na tela Aposto tudo Que não retornará O mesmo acontece comigo No escuro me escondo Na esperança de que Não me encontrará Pela janela avisto Homem de terno preto equilibrando-se Na suas dores Vejo flores no meu túmulo No pior dos pesadelos Meu corpo esfria longe do seu […]

Leia mais Mais do mesmo.

Reconstrução

Reconstruindo Vindo de outros lugares Recomeçar com mudas Erguer o jardim Novas vigas Terra firme Um novo começo Peço ao tempo me poupar Preciso ir Não fugir Não cometi erros Nenhum crime Reconstrução faz parte Em algum lugar eu vou ficar Algum dia irei sorrir Descansar a cabeça num travesseiro macio e sonhar Meu intuito […]

Leia mais Reconstrução

Ferrolhos

Eu preciso, preciso me controlar Pensar no silêncio e na água parada Recanto de um jardim-de-infância Me esconder debaixo de qualquer árvore Fugir desse mundo Longe posso está Correto ou incorreto Quem será o primeiro a me julgar? Na cadeira não existe réu Todos estão atrás como promotores, acusadores Dedo indicador Pulo pra fora sem […]

Leia mais Ferrolhos

Onde foi parar o teu coração?

O passado materializa Em sua frente como um trem desgovernado Vem com sua loucura e distorção O assassino da noite lava suas mãos na pia, mais um crime que a noite presencia Sai pela porta dos fundos No silêncio sinistro de seus medos Pode cavar, nunca vai encontrar Pode cavar, nunca vai encontrar Machucar as […]

Leia mais Onde foi parar o teu coração?

Então é nada

Quando penso que irá passar Vem as tormentas e seus ventos Bagunçam o meu quintal e levar embora O que resta de mim, só o que presta Então é nada… Noites de fornalhas Lembranças amargas Queimam em meu peito Toalhas quentes A imagem que eu tenho de você morto no seu leito Sem palavras e […]

Leia mais Então é nada

Partidas

Partidas… de avião de ônibus de trem de carro A dor é a mesma Se vê O asceno Beijo e o adeus Partidas…. saudades e-mails ligações A saudade é a mesma Se lê Ouve Dito Adeus.

Leia mais Partidas

Samba enredo

Mal posso esperar pra chegar o dia Fazer com que ele seja feliz Todos opinam Ninguém ouve Fazem de conta ninguém paga a conta Samba enredo da desgraça Que de graça não te dá Chuva de chumbo e prata Clareia os morros com rojões Mal posso esperar Pra chegar o dia Fazer com que ele […]

Leia mais Samba enredo

Aqui

Olhando para o céu Azulado e sem nenhuma nuvem Em silêncio Fujo das minhas lágrimas Quero que minhas rimas não as absorvam Tempo, quero você passe devagar Se for preciso deixo…. Preso às vezes Minhas sutilezas Na penumbra em pé Fico ali e a observo O cervo foje do caçador Na escuridão da floresta Ele […]

Leia mais Aqui

Reflexo

Meio confuso ao término do fimAndando sem direçãoVejo pessoas estranhasEncarando, jogando tomates podres Eu fecho meus olhos e os abroNão é um sonhoÉ minha realidadeConfusa e estranha Pessoas estranhas me perseguemOu eu que estou imaginandoMe vejo no vidro da vitrineNenhum reflexo de mim Saio correndo, correndo…. Dias estranhosIsso pode acontecerPode simPode sim

Leia mais Reflexo

Rewind

Rebobinar o tempo Manipular o meu algoz Trinta segundos bastaria Pra não te perder mais zogla uem o ralupinam opmet O ranibobeR O choque é inevitável Dissipando no ar Verso soltos Emaranhados de palavras Fecho os olhos Mergulho fundo Longe desse mundo Longe do tempo zogla uem o ralupinam opmet O ranibobeR Rebobinar o tempo […]

Leia mais Rewind

Esboço

Eu tinha dito Refrescando a mente O eco fez questão De ressaltar tudo Vejo aquele prédio Desmoronar feito papel Sobre os meus velhos passos Estradas sinuosas Noites longas Ouço milongas Sonhos vão Sou uma criança Diante da vida Mesmo parecer Um velho Turista na transição Na vida de pessoas Que passam por mim Um esboço […]

Leia mais Esboço

Vers Libres #5

Ninguém sabe Para onde vão Suas pegadas Que o vento leva A lei é ímpia Para alguns Há brechas Para outros Em dias de Natal Todos desesperam-se Em busca Do presente perfeito Ninguém sabe Para onde vão Suas pegadas Que o vento leva Eu preciso abrir a janela E respirar ar fresco De baixo da […]

Leia mais Vers Libres #5

Belatedly

Me explica O que há de melhor Senão for amor O que será? As duas partes se acusam Andam opostamente fugindo um do outro A ponto de descobrirem tardiamente Que não se amam mais Não existe matemática Cálculos que responde Onde isso vai parar Senão for e o que será? Pedro desliza sobre o cedro […]

Leia mais Belatedly

Ora sim, Ora não

Sonhos que se vê Olhos atentos na estrada As cruzadas, os dias Nem sempre iguais Rosqueia as porcas Solta os parafusos Desconecta os cabos Desliga-se da rede Ora sim Ora não As nuanças As curvas Minha idéia Talvez descompactada Sentido leste Talvez um teste Ora sim Ora não As frases As resenhas …..

Leia mais Ora sim, Ora não

Tivesse notado

Despercebidas Algumas tardes passaram Talvez notado O jeito, os sinais Do sol adormecer Além dos arvoredos Do sol adormecer Além daquelas nuvens Tivesse notado Que ela também Foi embora A vida é real Não digital Não se sente Pele com pele Tivesse notado O olhar, sinais Ainda estivesse No velho parque.

Leia mais Tivesse notado

Avalanche

Tão diferente Uma mancha negra Em tecido branco Ser indiferente Por ter passado Pelos dois caminhos Acima e abaixo da lei Flocos de neve Abrange a vista A estrada bloqueada Diga me pra mim mente, não desista As mentiras são Frias como a neve Vem como avalanche E as tuas máscaras se revelam Vem como […]

Leia mais Avalanche

Divisão

Mesmo assim sendo eu mesmo Faço de mim meu exemplo Escuridão mar da noite sem ondulação Um oceano Nos divide Cada engano Uma lágrima Que rima e cai Imperfeita simetria Imperfeito dia Abrolhos me prende Rasga a rede Os peixes fogem Um oceano Nos divide Cada engano Uma lágrima Que rima e cai… Mesmo assim […]

Leia mais Divisão

Divisão ( bolsão de ar)

Divida A vida Em duas metades Duas fatias De laranja Dois sóis Duas luas Divida Quantas quiser Duplique se houver como Meça A chance de mudar Que estiver Do seu lado Dois sóis Duas luas Rompe Através das nuvens Não olhe para baixo Para trás Sinta a corrente O bolsão de ar Voe….

Leia mais Divisão ( bolsão de ar)

Arquiteto da desgraça

Em tudo que você toca Faz ao teu redor desmoronar Teu jeito rude de lidar Caótico e singular Quebra Desmonta Destrói Tudo que toca Arquiteto da desgraça Sem graça e amor Ninguém sorri Piadas velhas e de mau gosto Quebra Desmonta Destrói Tudo que toca… Arquiteto da desgraça Sem planos e fundos Na miséria de […]

Leia mais Arquiteto da desgraça

Erupções

Como um vulcão adormecido que algum dia irá acordar Como o nó irá desatar Soltar sua voz, sua lava queimar E dizer o quanto … Eu lamento Sou detento de minhas imperfeições Infrações sem fiança E dizer o quanto De nós sobrou Partimos opostamente Sem dizer um para outro Se houve fim Apenas erupções Como […]

Leia mais Erupções

O porto

Mesmo com a multidão o porto fica vazio sem tua presença Ela ainda sente o conforto de seus abraços e o salgado de seus beijos Que diferença faz O belo, o mar Fazer com que amar seja sofrer As solidões ancoradas Em seu peito de corais Na canção que cantas Ecoa pra eternidade E nas […]

Leia mais O porto

A mão destra peca E a esquerda condena Os dias passam na casa vazia E o seu silêncio sufoca Não tenho mais razões Da tamanha ilusão O chão me absorve como areia movediça E os vagões deslizam sobre os trilhos Meus poemas não são mais os mesmos É difícil acreditar em algo Creditar o que […]

Leia mais

Tchau!

Vida selvagem Passa de passagem Sem demora Agora é tarde Em te dizer…. tchau! A estranheza da frieza Mente sombria Em dias sombros Sem demora Agora é tarde Em te dizer… tchau!

Leia mais Tchau!

Vegetação

Anoiteceu As luzes da cidade transformam a vegetação Tons sombrios, neons alaranjados Isso dá pra fazer Alguma canção Anoiteceu Esqueceu o casaco no banco de trás do carro A madrugada fica fria No fim da rua Do fim do mundo Naquele reduto oviase Sons de livramento Isso dá pra fazer Alguma canção Um blues à […]

Leia mais Vegetação

Tanto faz

Para alguns maldito tempo Bendito para os crentes de fé Amassa,tritura qualquer nó A vontade de desaparecer Se a jóia rara Não era amor O que será de outras coisas? Enquanto chovia A alma sofria De saudades e amor Se as árvores morressem Que ar hoje irei respirar? Cada dia passa O tempo que varre […]

Leia mais Tanto faz

Guarda-chuva

Nossos olhares cegamente Um para outro livremente Na vasta multidão Era apenas eu e você E seus lábios rosados Mordia se insegura Meu desejo não para Em querer beijá-la Estávamos de baixo do mesmo guarda-chuva Chovia forte e fria Em meus braços asseguro Eu a não deixo molhar.

Leia mais Guarda-chuva

Duas mãos que seguram o sol

Eu achei que fosse você Eu pensei, também errei Outros tempos Outros ventos Nem se percebe Nem recebe contribuições O amor ou as interrogações Se fosse Seríamos duas mãos que seguram o sol Se fosse Seríamos felizes juntos? Recitação aos corais Pegadas na areia Em Cidreira o dia acaba E o que resta apenas melancolia.

Leia mais Duas mãos que seguram o sol

A fronteira

Algumas tardes passaram despercebidas Talvez notado a sua significância Do sol morrer além dos arvoredos Do sol morrer além daquelas nuvens Eu poderia Estando aqui Tivesse percebido Por entre linhas Tivesse notado Que ela esteve aqui E foi embora… E o vento seco do outono Poderia ter dito algo Que as coisas tornariam a voltar […]

Leia mais A fronteira

Quantas vezes

Quantas vezes você me viu chorar? Não sabe dizer/ ficou sem palavras E ainda fala que me conhece Nem sabe o que dizer Quantas vezes eu cai? Não sabe porque nunca esteve lá E ainda fala que me conhece Nem sabe o que dizer As pessoas as suas ideias e mente Complexas e inexplorada Dizer […]

Leia mais Quantas vezes

Expectativa

Foi uma tarde para esquecer Aquela expectativa alta Os pássaros migraram para o sul E você ficou, ficou aqui Desejos do homem Colidem com os de Deus Os pássaros migraram para o sul E você ficou, ficou aqui O tempo passou Pelo seus pés Águas do rio Turvas outrora rasas Foi uma tarde para esquecer […]

Leia mais Expectativa

Máscaras

Para quê servem as máscaras? Se não for pra esconder o que você não é Ouça essas palavras Apenas ouça com atenção São francos Como atiradores no telhado Você aponta o dedo Direciona-me ao penhasco Tão fútil Inútil Carros colidem Pessoas estranhas morrem diariamente Diariamente Escondo-me Debaixo da cama Fecho os olhos Para quê servem […]

Leia mais Máscaras

Ce jour il n’oubliera jamais.

As nuvens estavam carregadas de prantos e indecisões Negras como a escuridão tomada por suspeitas e acusações. Sem um alibe Qual foi o calibre? Os amantes lado a lado Num orgasmo depravado A cama em forma de coração Cheia de clichê e profanação E aquelas nuvens negras sobre o teto Desabou sem piedade Toda a […]

Leia mais Ce jour il n’oubliera jamais.

O protagonista

Não sabes aonde ir Foi você que deu razão Pra eu te esquecer E morrer E agora? Ação e reação Juntas numa Peça de teatro No qual o protagonista Morre no início Antes de começar Já terminou Esse amor Que não durou Nem passou do prólogo Logo o segundos passará E quando acordar para outro […]

Leia mais O protagonista

A poesia de eu e você

Tuas lágrimas caiem como rimas Na canção triste que componho Desculpa por fazer isso Meu dom é esse Histórias são feitas assim A roda gira e a chuva é a mesma Para pobres e para ricos que andam de carro importado Se fala de amor A dor que eu não vejo Se fala da dor […]

Leia mais A poesia de eu e você

Espião

Eu preciso mentir Negar o meu verdadeiro A ilusão é um ofício Depois de um drink Meus lábios não são pra ser beijado Como um espião Tem que ser cauteloso E desaparecer na escuridão Sou espião Sei tudo sobre você As janelas que eu vejo O teu andar e teu respirar Sou espião Quando a […]

Leia mais Espião

Trilhos

Bem provável O princípio As ferrovias Nos trilhos Trilhos que despedaça Que despedaça Carne e graveto Que despedaça Que despedaça… É notório O que faz Perder a alma O senso do ridículo Que reflete O verdadeiro eu Que reflete Que reflete Doce simpatia Do teu olhar A chuva a beija no rosto Doce simpatia Da […]

Leia mais Trilhos

I do not know if I’ll say

Eu não sei se vou dizer Eu não sei se vou dizer Eu não sei se vou dizer Quanto eu quero Sua vida me amarra Seu caminho me encanta Perdido muitas vezes Eu estou sem um norte Eu não estou preparado Eu não estou preparado Eu não estou preparado Quanto desse amor é forte Arraste-me […]

Leia mais I do not know if I’ll say

Singularidade

Anoto num caderno Tudo que eu vejo Se o terno está alinhado Ignoro a cartilha de etiqueta Se ando a pé ou de metrô Se digo alô Ou apenas oi A conversão dos fatos O cotidiano que naufrago Fazendo parte de mim As vezes arrancando-me A ansiedade de criar Crise passamos Por falta de criatividade […]

Leia mais Singularidade

Sucker

Tenha dúvida A vida engenhosa A lata explode Molho de tomate na parede Ouvia-se apenas Um baixo tom de voz Muito obrigado otário Mesmo não sendo um Me dê um tapa Mostra quem você é A beleza da raiva A uva azeda do suco Soma as tuas mentiras Troca por dinheiro Coloca o cigarro no […]

Leia mais Sucker

Disappear

É isso mesmo Não dá pra fingir O que seus olhos Tem a dizer Sentimentos intensos Não se consegue segurar Represas ruíram Amar é assim mesmo Muitas vezes, cada um no seu caminho A escuridão toma seu lugar A paixão fica em segundo plano Houve danos e lágrimas E ambos arruinaram-se É isso mesmo Clichês […]

Leia mais Disappear

Wrinkles

Ponho minhas mãos sobre o balcão Encosto minha testa no amadeirado Fico alguns minutos pensando Nas besteiras que eu fiz e pensei Só em pensar eu já pequei As rugas adereço da idade Quero correr e fugir Sorrir esse tempo já passou Essa é minha droga de opinião Só em pensar eu já pequei… O […]

Leia mais Wrinkles

Sub

Espero aqui Que venha me derrubar Ondas que vai E que voltam Arremessa minha dor Afundar-se… Desrespeito Todavia se desculpar O mal culpar Aquele que desdém Das coisas do mundo Da controvérsia Todo o preço do pecado Que vem com a morte Espero… Aqui que venha Arremessar Além mar…soçobrar.

Leia mais Sub

Deixei pra ontem

Deixei pra ontem O que deveria ter feito hoje Arrumar a papelada Carimbar documentos e despachar Deixei pra ontem Aquele amor à espera Naquelas horas Dá Vontade de gritar Abrir a janela Atirar pra fora Quem dirá Pode me chamar de louco Mais um dia Trânsito nervoso No pico Não há altitude Olhos raivosos Atentos […]

Leia mais Deixei pra ontem